Pular para o conteúdo
Início » Análises » Análise: FIFA 10 (PS3)

Análise: FIFA 10 (PS3)

FIFA 10

Aqui no “País do Futebol”, o Pro Evolution Soccer, também conhecido como Winning Eleven reinou absoluto até a chegada da nova geração.

Com a chegada do FIFA2007 a EA mostrou pra Konami que poderia brigar pela liderança. Com o FIFA2008 a briga foi boa, mas a Konami continuava na frente. Com FIFA2009, a EA tomou as rédeas da disputa.

Mas isso apenas no XBox360 e no Playstation3, pois nos outros consoles e nos PC’s a Konami continua a reinar absoluta.

Como alguns sabem, eu tinha um XBox360 (que foi visitado pelas 3rl’s) antes do PS3 e nele joguei o FIFA09 até a exaustão. Provavelmente o mesmo acontecerá com o FIFA10 e nessa análise ficará claro o motivo.

Epic Fail

Uma das coisas que mais atraía os Brasileiros para o FIFA era o fato de possuir os times da primeira divisão do campeonato Brasileiro com seus nomes e uniformes reais. Foi assim até o FIFA09, mas como foi mostrado neste post, na edição 2010 há apenas 8 times Brasileiros licenciados, Atlético-MG, Atlético-PR, Botafogo, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras e São Paulo. Os outros times estão com nomes e uniformes que “lembram” mais ou menos os originais. Pelo menos as escalações estão corretas, apesar de não haver algumas contratações mais recentes, como no caso do Corinthians C. Paulistano, que não tem o Edno, mas como foi bem recente é até aceitável.

Novidades

Sem dúvida alguma a principal novidade do jogo em relação à versão anterior é que agora os jogadores se movimentam em 360 graus e não mais apenas nas 8 direções do controle.

O jogo deu um passo à mais na direção da simulação, pois agora é possível que defensores protejam a bola de adversários ou que os zagueiros corram de lado na linha de fundo tentando impedir o atacante de fazer um cruzamento. Um recurso muito legal que sempre faltou nos jogos de futebol foi a possibilidade de ir protegendo a bola até que ela saia pela linha de fundo (como em jogos reais) sem que o seu jogador a toque ao mesmo tempo que a “cobre”, impedindo que o atacante adversário a recupere. Para fazer isso basta combinar os botões R2 + L2. Muito prático!

Se no jogo anterior os dribles realizados com o L2 pressionado e utilizando o R3 eram apenas meras “”firulas”, nessa versão é imprescindível que o jogador domine tais dribles, pios sem isso é muito difícil dar dribles com sucesso. Para facilitar o gamer a identificar com quais jogadores ele pode dar dribles e fintas mais elaboradas, os jogadores agora possuem uma classificação em estrelas, assim como os times, qualificando-os aos dribles mais avançados, como o famoso “elástico” do Ronaldinho Gaúcho (e outros tantos jogadores) ou a popular “”pedalada” utilizada pelo Robinho.

Os goleiros agora estão um pouco mais inteligentes do que no jogo anterior, mas ainda não respondem bem ao botão “triangulo”, pois se em um determinado momento um jogador do seu time errar um passe para a linha de fundo, não adianta ficar com o botão pressionado, pois quando o goleiro resolver partir a trás da bola para impedir o escanteio já será tarde demais… Mas melhoraram muito em relação ao jogo anterior!

Outro item que melhorou consideravelmente foram os chutes, que agora estão um pouco mais precisos, mas ainda mais difíceis com jogadores de pouca habilidade (os zagueiros dificilmente acertam bons chutes…). Agora é possível além do famoso “chimp shot” (chute por cobertura utilizando o L1), executar o “finesse shot” com o botão R1, no qual o jogador dá um chute “colocado” (ou de “chapa” para os que jogam futebol real). Com esse recurso é possível dar chutes muito bonitos tanto de fora quanto de dentro da área.

É possível treinar esses chutes, assim como os dribles na arena, que é a tela inicial onde há um campo com um jogador de linha e um goleiro. Se antes a arena servia apenas para tirar a chatisse dos loadings, agora ela de extrema importância, pois pressionando o SelectGame o gamer tem acesso às opções de treinamento, onde pode apenas treinar os dribles e chutes, como dito anteriormente, mas também pode treinar jogadas ensaiadas e gravá-las para uso durante os jogos. É muito legal gravar as ações dos seus comandados e criar novas e surpreendentes jogadas, ainda que seja necessário um pouco de tempo para criar uma jogada efetiva, mas o recurso é muito útil e divertido!

Ainda na arena, é possível selecionar qual o estádio e qual o jogador estará disponível. No meu caso é o camisa 10 do futuro tetra campeão seguido do campeonato Brasileiro!! =P

Outra novidade muito bem vinda em relação ao jogo anterior foi a adição de tutoriais em vídeo, que ensinam do básico ao avançado, cobrindo ataque, defesa, dribles, passes e chutes, como tutos para os novos Live Season 2.0 e Virtual PRO.

Modos de Jogo

Há os jogadores que gostam de apenas jogar online, mas para os que, como eu, também curtem a jogatina offline, FIFA10 trás 4 modos básicos para serem jogados de forma solitária: Manager Mode, Be a Pro: Seasons, Tournament Mode e Lounge Mode.

O meu modo de jogo predileto é o Manager Mode, o qual ganhou uma série de mudanças em relação ao jogo anterior.

Nesse modo o gamer pode ao mesmo tempo acumular os cargos de técnico (fazendo a escalação do time, treinando e criand), dirigente e empresário. Assim como no anterior, o gamer pode selecionar o clube onde iniciará sua carreira. O sistema de evolução foi modificado e agora o treinador também é avaliado em estrelas e o jogo inicia com meia estrela. A cada vitória o treinador vai ganhando pontos e vai subindo de nível estrelas. Dependendo do seu desempenho nos times, é possível ser mandado embora ou ser convidado por outros clubes. Caso seja mandado embora, receberá ofertas de outros clubes para dirigir, mas a qualidade dos clubes será proporcional às estrelas do treinador.

Ainda não joguei muito este modo, mas no futuro farei uma resenha super detalhada somente deste modo, pois ele é bastante amplo e cheio de opções interessantes.

O Be a Pro: Seasons é o modo onde o gamer pode escolher um jogador do jogo ou criar um novo jogador para viver a carreira dele. Neste modo o gamer não tem acesso à escalação do time e nem em que posição vai jogar. O jogador deve ser versátil, pois nem sempre se joga na sua posição. Um atacante pode ser improvisado no meio campo ou um volante pode ser improvisado na lateral, por exemplo.

O Tournament Mode é o tradicional da maioria dos jogos de futebol, onde pode ser montado diversos tipos de torneior, como os de chaves ou de mata-mata.

E por fim, há o Lounge Mode, que é um modo que eu achei meio estranho… Não o joguei direito, mas vi que os times são selecionados através de cartas e o jogo é bem diferente do padrão. Este também jogarei mais a fundo para depois fazer um resenha mais completa, pois parece ser bem interessante.

Ainda não testei os modos online direito, pois a minha internet 3G não ajuda muito, mas uns poucos jogos que fiz me pareceu tão bom quanto na versão anterior.

Gráficos

Esse item deve causar um pouco de polêmica, pois na minha opinião, os gráficos da versão anterior são melhores do que do novo jogo…

Na verdade, não os gráficos em si, pois estes estão muito bonitos, mas as aparências dos jogadores nesta versão não são tão parecidas com as feições dos jogadores reais… No anterior eram mais parecidos e nesse quesito o PES2010 está muito superior ao FIFA10. Os jogadores dos times brasileiros estão na sua maioria irreconhecíveis. Se o gamer não ler o nome do jogador não será fácil de identificá-lo logo de cara…

As animações seguem mais ou menos os mesmos moldes da versão anterior, mas agora os jogadores, o juiz e os bandeirinhas possuem muito mais animações do que antes e uma coisa legal é que tanto o juiz como as bandeiras fazem parte do jogo “fisicamente”, sendo normal acertar a bola neles. Não que seja uma tarefa fácil, pois eles tentam escapar da bola pulando para cima e para os lados ou se contorcendo pra sair da frente da bola. Mas quando ela bate neles é bem real e dá pra perceber que eles “sentem” as boladas, parecendo meio desorientados por 1 ou 2 segundos, dependendo de onde a bola bate e da força. As animações dos cartões agora nem sempre são CG’s. Há muitos casos em que são cenas não interativas (que não podem ser cortadas) ingame. Por exemplo, um jogador faz uma falta dura no meio da campo, mas o adversário leva vantagem. O jogo segue e quando bola para o juiz dá o cartão. Mas ao invez de sair do gráfico ingame para uma CG, o juiz vai correndo na direção do jogador e pode tanto dar broncas, fazendo sinais típico dos jogos reais (como braços cruzados) ou dando os cartões direto. Fica muito legal dessa forma e as animações são bem bonitas.

Uma coisa muito legal, mas não diretamente ligada à parte gráfica são as melhorias na parte de física do jogo. A bola está muito mais realista do que antes e isso fica totalmente evidente quando há mudanças no clima. Jogos em tempo seco são muitos mais rápidos e fluídos, enquanto os jogos na chuva são mais “truncados”. Os grandes lançamentos na chuva fazem a bola quicar menos e ocasionalmente param nas poças d’água, fazendo os jogadores passarem direto pela bola, com elas ficando pra trás. Gera situações muito engraçadas…

Conclusão

Na minha opinião nas plataformas PS3 e XBox360 o FIFA10 é disparado o melhor simulador de futebol.

Ainda que os jogadores do PES2010 sejam mais parecidos com os reais, a jogabilidade e os novos recursos do FIFA10 são muito superiores aos do futebol da Konami.

O jogo tem muitas melhorias em relação à versão anterior e na minh a opinião vale à pena ser adquirido por quem gosta de futebol. O jogo está muito mais equilibrado do que antes e mesmo dois jogadores com o mesmo time podem jogar de formas totalmente diferentes, devido às muitas opções oferecidas pelo jogo.

Aqueles que tiverem o jogo e quiserem bater uma bolinha virtual, podem me adicionar na PSN: DougTabajara.

Relacionados e Publicidade