Início » Caça-Fantasmas » Análise: Ghostbusters The Video Game (PS3)

Análise: Ghostbusters The Video Game (PS3)

ads_ghostbuster

Este game foi muito esperado por mim, desde quando anunciaram a produção dele e acerca de todo o cuidado que tiveram com ele. Desde as dublagens com os atores originais, bem como o script original dos criadores dos Caça-Fantasmas ( Dan Aykroyd e Harold Ramis).

E com certeza posso dizer que o game, um shooter em 3ª pessoa não me desapontou nem um pouco, curti muito mesmo, e vou abaixo descrever um pouco mais deste game.

Gráficos

No caso desta versão em específico, estamos falando dos gráficos para Playstation 3, Xbox 360 e PC, já que as versões para Playstation 2 e Nintendo Wii seguiram por uma linha diferente, mas caricata, com cara de desenho animado.

O primeiro ponto foi que usaram a digitalização dos atores do filme, e as expressões dos mesmos estão maravilhosas. O gráfico do game e ambientação das fases são outro show a parte. Primeiro ponto é que tudo é destrutível, como no filme, o canhão de prótons destrói tudo, e as fases como o hotel ou no museu são lindas, riquissímas e cheio de detalhes. Na verdade tiveram o cuidado com todas as fases, e mais o fator do game ter suporte a 1080p. São um verdadeiro show visual aos olhos, a fase em que você passa para a dimensão do Gozzer é simplesmente maravilhosa, eu parei várias vezes para ficar adimirando o cenário, veja a foto abaixo tirada da minha TV:

Jogabilidade

Basicamente é um shooter em terceira pessoa, onde você tem disponível a mochila de prótons como arma, que durante o jogo habilita a variação de 4 armas diferentes (arma de prótons, lançador de geléca, arma atômica, e arma atordoante).

A jogabilidade inicial, quando você pega o controle a primeira vez, parece muito difícil, e como aprendiz, quando você usa a primeira vez, parece que você não vai controlar a arma de prótons. Mas conforme você vai se acostumando e aprendendo a controlar a arma, e você compra os upgrades para a arma, você vai ficando mais preciso com a mira e aproveitamento. Outro ponto interessante, é que você nunca está sozinho, sempre tem a companhia de alguém do time, um dos quatro principais, ou em algumas partes até os 5 juntos, e você tem olhar pela guarda deles, ajudar eles a se recuperar se caírem, e neste ponto você ganha, porque se você cai eles vem ajudar também, então sempre olhe a guarda de seu companheiro.

E depois que você pega o jeito, realmente é muito divertido. A única fase que gera uma dificuldade monstro, é quando chega no cemitério e se tem grudar uns anjinhos de pedra infernais em um portão, esse trecho é um sofrimento só.

Enredo

Outro ponto forte do game, pois o roteiro foi escrito por Dan Aykroyd e Harold Ramis, que escreveram os filmes. O game se passa dois anos após os eventos de Caça-Fantasmas 2, em 1991. E mostra os caça-fantamas contratando um estagiário (você), e quando algo em uma exposição sobre Gozzer – o Gozzariano (sem trocadilhos, por favor) dispara um evento sobrenatural de proporções gigantescas, novamente o caça-fantasmas tem que salvar Nova York.

A história é bem amarrada, recheada de referências aos filmes, e com a participação de praticamente todos os atores que fizeram os mesmos, como o prefeito de Nova York, o chato do Peck. E sinceramente, como nos filmes, o sinismo e sarcasmo do Peter Venkman roubam a cena em vários momentos, como por exemplo, logo no começo do game, quando perguntam seu nome e ele diz pra chamar de “novato”, para não criar vínculo e se apegar caso alguma coisa ruim aconteça com você.

Sons e Efeitos Sonoros


Outra acerto do game. Já começou bem, quando na produção do mesmo, fizeram uma eleição para ver se os fãs queriam a música original, ou uma nova versão modernizada. Obviamente ganhou a versão original, e ela foi mantida no game. Mas não só ela foi mantida, como toda a trilha do game é baseada na trilha original dos filmes.

Outro ponto positivo é a dublagem de todos os atores originais do filme para o game. A caracterização identica dos atores e suas vozes originais fazem toda a diferença no game, ajudam na imersão na história. Os efeitos do canhão de prótons, sem comentários, é perfeito, você acaba até imitando com a boca.

As ambientações sonoras, os efeitos das armas, dos mundos, tudo ajuda na imersão deste game

Conclusão


Um verdadeiro show de respeito aos fãs e a mitologia da franquia. Esqueçam qualquer jogo anterior de outros consoles dos Caça-Fanstamas, este é o jogo deles.

Todos os detalhes do game foram feitos para agradar, e para aqueles que são fãs dos personagens, como eu, tem até um gostinho a mais, pois o jogo explora isso muito bem, trazendo referências por todos os lados dos filmes antes dele. Como disse Dan Aykroyd, quando perguntado a respeito do game, “Este é o terceiro filme dos Caça-Fantasmas”. E verdadeiramente você tem a sensação de estar em um filme da franquia.

Outro ponto que vale o comentário, é o multiplayer do game, que permite que você aceite um “trabalho” e junto com mais três companheiros, caçar fantasmas por Nova York. Apenas neste modo multiplayer você pode jogar com um dos Caça-Fantasmas clássicos em vários tipos de missões, que extendem e muito bem a diversão do game.

O único ponto negativo do game, na minha opinião pessoal, é justamente seu personagem, o “Novato”. Ele não fala uma palavra o game inteiro, somente ouve e concorda. Tinha horas que dava uma agônia, pois ele parecia modo, só fazia expressões e não dizia nada. Vamos lá Atari, para o próximo game, que tomara que tenha, dá umas falas pro “Novato” vai.

Minha nota final para o game é 10, e merecido.

Nota Final: 10

Relacionados e Publicidade