Pular para o conteúdo
Início » Asura's Wrath » Asura’s Wrath – Impressões do demo

Asura’s Wrath – Impressões do demo

Se você pensa que já jogou todo tipo de jogo, pense denovo. Você não pode dizer isso até pelo menos jogar Asura’s Wrath. A CyberConnect2 entregou algo único, pelo menos é o que dá pra dizer do demo, e ainda de um jogo ainda em desenvolvimento, mas já da se ter uma idéia do que nos espera na versão final do jogo. Eu sinceramente fiquei entre muito impressionado e muito decepcionado quando joguei este demo hoje.

Você comanda o protagonista da história, o Asura, uma indestrutível força da natural, com poderes aparentemente ilimitados. E como a CyberConnect2 vai desafiar um personagem invencivel? Simples, colocando ele nas mais incriveis e insanas cenas de ação que eu já vi.

Você pode escolher jogar 2 fases da demo, o Capítulo 5 e o Capítulo 11. Não dá entender completamente o significado desses capítulos em uma história maior. Entretanto, serve para mostrar toda a mecânica do gameplay do jogo. Basicamente, se resume em encher um “Burst Meter” de Asura, que permite que ele se transforme em um Super Saiyan e o progresso da batalha continuar. E isto é feito causando mais dano e contra-atacando.

No Capitulo 5, você enfrenta uma espécie de estátua de Buda gigante. O jogo é bastante baseado em “quicktime events”, e você já começa sendo arremessado e tem que se freiar. Então depois, você enfrenta o Grandão atingindo ele com seus tiros, e acionando alguns quicktime até encher a “Burst Meter” e entrar nos eventos de combate direto com ele. A parte de tiro, você pode marcar multiplos alvos e ir rapidamente encher a barra de “Burst”.  E o mais legal, quando você aciona o Burst, você ganha uns braços a mais, ficando com seis braços, e ataca com mais força, e também tudo baseado em “quicktime events”.

A ação é ininterrupta depois que você aciona o “Burst”, e você tem que acertar certinho os momentos de acionar os golpes. E, mesmo quando a ação vira um shooter a uma nave, basta alguns segundos para o “Burst” se encher e a ação voltar a ser frenética novamente.

O episódio 11 é ainda mais divertido, eu ouso dizer. Você está em um combate de um contra um, contra um personagem poderoso, e que já foi seu mestre. A batalha se da em ambiente que se parece com a lua, e batalha apesar de confusa, é muito divertida. Os controles são simples e a batalha consiste em evitar os ataques e contra atacar para encher sua barra de “Burst”, e então a ação se tornar mais frenética e voltar aos “quicktime events”. A batalha me lembra muito Dragon Ball Z, e ação e os eventos insanos que ocorrem divertem e prendem a atenção.

O que deixa o jogo mais interessante é justamente ver isso, que nos dois capítulos apresentados, temos dois tipos diferentes de gameplay, com dinâmicas diferentes e esquemas de controle diferentes, mas acabando da mesma maneira, sempre com “quicktime events”. O capítulo 5 é praticamente um shooter, onde é desviar, atirar, encher a barra de “Burst” e terminar em “quicktime events”, enquanto que no capítulo 11, temos o gameplay mais próximo de um brawler, mas acabando em “quicktime events”. É facil de perceber, que se for isso que o jogo tem a oferecer, ele não será monótono, de maneira nenhuma, parece ter uma história envolvente e ação insana. Se pensarmos que temos uma história interessante e a possibilidade de vários tipos de gameplay, eu diria que o jogo tem potencial.

Os eventos de quicktime, apesar de muitos, não atrapalham em si, e servem para guiar e prender nossa atenção no que está acontecendo. Bom, pelo pouco que experimentei neste demo, o jogo me chamou a atenção, e mostrou que ele pode funcionar sim, apesar de ser um pouco confuso. Mas por ser por ser um demo, e de dois capítulos que não deixam conexão entre si, que passe a sensação de um jogo que pode decepcionar também. Mas definitivamente, vou querer experimentar.

Relacionados e Publicidade
Marcações: