Pular para o conteúdo
Início » Activision » Call of Duty: Advanced Warfare – Novas informações

Call of Duty: Advanced Warfare – Novas informações

Call of Duty: Advanced Warfare - Hi-res Screenshot 01

Foram divulgados as primeiras informações sobre o Call of Duty: Advanced Warfare, novo game da série que será lançado em 04 de novembro. Primeiro que iniciou a pré-venda do game na Amazon e na rede norte-americana Gamestop, confirmando que o game terá versões pra diversas plataformas: PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360, Xbox One e PC. Em nenhuma das 2 lojas foi mencionada a versão para o Wii-U, e provavelmente esta versão ficará de fora, mas o ideal será aguardar algum pronunciamento oficial. Além da pré-venda, o All Games Beta e o site oficial da revista Game Informer divulgaram as primeiras infos sobre o gameplay.

O game se passa em 2054, em um futuro plausível, onde o progresso tecnológico e as práticas militares da atualidade tem convergido com consequências poderosas. Nesta visão cuidadosamente pesquisada ​​e trabalhada do futuro, as corporações militares privadas (Private Military Corporations) se tornaram o exército dominante para incontáveis nações, terceirizando as suas necessidades militares e redesenhando fronteiras e reescrevendo o curso da guerra. Nesse ano, uma empresa militar privada (PMC) surgiu com o poder de salvar a humanidade de um mundo devastado lutando para reconstruir após um ataque global sobre os seus militares e infra-estrutura.

O personagem atuado pelo ator Kevin Spacey (de House of Cards) é Jonathan Irons, fundador e presidente da maior companhia militar privada do mundo, a Atlas Corporation, que está no centro de tudo, e o jogador é um soldado desta companhia. Equipado com um exo-esqueleto especial, fornecendo uma letalidade mais avançada, os soldados tem uma nova gama de movimentos, como aumento de velocidade, pulos maiores e grappling (acredito que seja uma facilidade para se agarrar e subir em topos de edificações), habilidades secretas de camuflagem e biomecânicas que fornecem força incomparável, resistência e velocidade. Com o advento dos exo-esqueletos e armas e equipamentos avançados, cada soldado tem mais liberdade tática em qualquer terreno, mudando fundamentalmente a forma como os jogadores jogam o Call of Duty em todos os modos de jogo.

Com o uso da nova geração, o game promete ter campos de batalha no futuro com um arsenal avançado e um set avançado de habilidades, equipando os jogadores com tecnologia, perks e veículos como hoverbikes e drones altamente especializados. Os jogadores poderão escolher munição padrão ou uma classe totalmente nova com armas de “energia direcionada”, habilitando uma nova dinâmica de gameplay.

Já o estúdio Sledgehammer Games foi fundado por Michael Condrey e Glen Schofield, que criaram a série Dead Space pela Visceral games (da Electronic Arts) e eles iniciaram os trabalhos na franquia Call of Duty em 2011, auxiliando a Infinity Ward no desenvolvimento do Modern Warfare 3.

“This is an opportunity of a lifetime, and an honor for Sledgehammer Games. Call of Duty: Advanced Warfare is the most ambitious and creative project we have ever worked on. From the endless research and thousands of production designs, to our incredible focus on the narrative and amazing attention to detail – we’re taking nothing for granted,” said Glen Schofield, co-founder and game director of Sledgehammer Games. “Call of Duty connects with the fans on such a deep level, and crafting a new vision for the next generation has been so inspiring for us.”

Esta é uma oportunidade de uma vida, e uma honra para a Sledgehammer Games. Call of Duty: Advanced Warfare é o mais criativo e ambicioso projeto que estamos trabalhando. Desde pesquisas infinitas e milhares de designs de produção, para o nosso foco incrível na narrativa e atenção aos detalhes – nós estamos tornando nada como garantido”, disse Schofield, co-fundador e diretor de desenvolvimento da Sledgehammer Games. “Call of Duty se conecta com os fãs em um nível tão profundo, e a elaboração de uma nova visão para a próxima geração tem sido inspiradora para nós”.

Sobre essas primeiras informações, as semelhanças com o Titanfall e o multiplayer da série Killzone podem não ser mera coincidência, principalmente com as novas movimentações demonstradas no trailer oficial e o uso de drones avançados, podendo deixar as partidas com mais ação e movimentação. E pensar que é bem provável que os ex-donos da Infinity Ward e que lançaram o Titanfall podem ter tido essas ideias e ter levado um “não” da Activision ao mostrar essas ideias pros executivos, o que podem ter motivado eles a saírem da produtora, aliado a toda a treta jurídica entre eles e a produtora por conta dos direitos da marca Modern Warfare.

Por fim, é aquele negócio: quando se tem uma franquia milionária, mexer e inserir inovações é arriscado, mas chega uma hora que a produtora não tem mais para onde correr, tendo de inserir inovações para que a série continue a chamar a atenção do consumidor. Mas como a série Call of Duty está começando a ficar saturada, o jeito é inserir novas dinâmicas de gameplay pra não perder vendas, mas sempre teremos jogadores que irão reclamar, e muitos ainda jogar bastante os games anteriores, como o Modern Warfare 2. Como as campanhas single-player não estão tão legais como eram os primeiros jogos da série na geração passada, muitos jogadores ainda querem ver uma campanha single-player decente. Para mim, que é um potencial consumidor, eu apreciaria um multiplayer sem problemas de lag (presente na versão para PS3 do Ghosts) e uma campanha memorável e sem fases de “Força de Ataque”, o que pra mim foi a ruína da campanha do Call of Duty: Black Ops II. Mas como já paguei língua com outros games, sempre é bom esperar o jogo sair e jogar antes de tecer que um game será ruim. Continuarei de olho nas infos, e provavelmente até a E3 2014 teremos os primeiros vídeos de gameplay

Relacionados e Publicidade