Início » Artigos » Diário Gran Turismo 5 – início, eventos sazonais e modo de fotos

Diário Gran Turismo 5 – início, eventos sazonais e modo de fotos

Gran Turismo 5. O famigerado. Um dos games mais hypeados de 2010, dado o seu lançamento depois de 5 anos de espera. Na última sexta-feira fui na locadora e a tentação em alugar um game era grande demais, já que já tinha escolhido os jogos de final de semana e tinha (ainda tenho) muita coisa pra fazer (principalmente os projetos de programação). Cedi e decidi trazer o game pra casa, pra pelo menos ver o jogo rodando e ficar passeando pelos menus e pelas opções de jogo. De início já tem uma espera enorme, com a atualização de 608 MB obrigatória e depois mais 1 hora em média de instalação dos 8 GB de dados necessários pra dar mais performance pro jogo.

Passado isso (e a abertura com a horrenda trilha do My Chemical Romance) o game inicia no Menu inicial com as opções “Modo GT”, “Arcade, Editor de Circuito, GT-TV, Manual, Opções e Gravar. No Modo GT (o Simulation mode), a cereja do bolo, logo de cara pede pra você setar as configurações básicas: aparência do piloto (que se resume a um macacão e um capacete com 12 opções de cores), configurações online, etc. Depois disso você pode explorar os “trocentos menus” do Modo GT:

Estou na versão americana, que vem com o português de Portugal, o que ajuda muito na imersão do jogador. Logo de cara tentei ir nas licenças, pra poder aprender como se joga um simulador de corrida, mas fui barrado por não ter um carro. O jogo de obriga a ter um carro, e aí você tem as opções de comprar um usado ou um novo. Tentei comprar um novo e fui direto na Nissan pra ver se comprava um Skyline maroto, mas o preço do mais barato é de 38 mil, bem mais que a minha grana inicial. Também achava que o jogo poderia localizar o meu save do Gran Turismo 5 Prologue (que aluguei há muito tempo) pra ver se tirava alguma vantagem financeira, mas isso não aconteceu. Outra coisa: agora o game tem níveis de experiência e por isso os carros também tem isso.

Como é que é?

Não importa agora se você tivesse 300 mil no bolso pra comprar aquela Ferrari no começo. A 512BB de 1976, a mais barata, custa $102.500, e para adquirir ela, o gamer tem de ter nível 8 no jogo. São 2 níveis de experiência: A-Spec e B-Spec. O A-Spec é a jogatina normal, onde você joga dirigindo nas corridas. O B-Spec é o modo que estreou em Gran Turismo 4 onde você é um dirigente e tem de dar ordens pra IA do seu piloto. Ainda não fui no B-Spec pra ver como é, o que deve acontecer também em breve. Então pra comprar a Ferrari você terá de jogar bastante até chegar no nível 8. O Viper GTS’02, por exemplo, necessita de nível 10 para ser adquirido. Mas não quer dizer que não tenha carros de nível 0. Aí entra os carros usados, mais baratos e que acaba sendo a melhor opção.

Das diversas opções que vi, fiquei com um Civic Type R(Ek)’98, que foi a primeira opção que vi com transmissão FF (na frente):

Carro Standard: Textura fraquinha.

A escolha da transmissão se deve em parte aos meus traumas de infância quanto à transmissão FR e MR do Viper, mesmo sabendo que o Viper é um ótimo carro. Mas é aquele negócio: ou você aprende a jogar ou você ficará rodando na pista igual uma bailarina. Junto com o carro ganhei também a cor “Championship White”, a primeira pintura da minha carreira. Quando você compra/ganha um carro você também ganha a pintura dele e poderá pintar o seu carro com uma dessas pinturas (que acaba sendo usada e você “perde” ela depois). Fiz um teste e pintei meu carro com a cor “Torched Steel Blue”, e ficou assim:

Então temos outro recurso que virou febre: a possibilidade de tirar fotos dos replays. Sei que tem o Photo Travel onde você poderá tirar fotos em altíssima resolução, mas parece que esse recurso só existe pros carros premium. Pros Standard pelo menos dá pra tirar fotos das corridas e poder exibir por aí os carros que você tem (exportando a foto pra Dashboard e depois para um pendrive). Todas as fotos de carros do post foram fotografadas por mim. No começo eu não estava sabendo muito bem configurar, mas depois aprendi as manhas!

Depois que comprei o carro eu decidi ir direto pros campeonatos A-Spec e fui na Taça Sundae Sunday, e por incrível que pareça eu venci facilmente as 3 corridas. Achava que teria alguma onde eu teria de mexer no carro depois, mas isso não aconteceu inicialmente. Também, eu usei a “linha-guia” o que acaba ajudando a vitória. Terminando o campeonato eu passei pro nível 1 do A-Spec. Decidi partir pras licenças pra ver algumas, e aí a sorte apareceu do nada: tirei ouro nas 2 primeiras, sabe-se lá como. E não usei nenhuma dica e-ou detonado. As licenças também dão pontos de experiência, e com isso evoluí pro nível 2. Abaixo uma foto que tirei do replay da segunda licença, onde estava com o carro “147 TI 2.0 TWIN SPARK ’06”, da Alfa Romeo:

Ontem eu decidi testar outras modalidades. Fui pro Desafio FF e novamente venci com vantagem, agora usando um Mitsubishi FTO GPX’94 todo vermelho, que comprei usado e apenas pra testar o esquema de você ganhar uma tintura extra:

Animado, fui ver como são os eventos sazonais, que aparentam ser eventos especiais criados pelos criadores do game e que ficam abertos durante um certo período de tempo. Alguns eventos já estavam fechados, como o Nissan GT Academy 2011, mas outros estavam abertos, como o FF Challenge, com 3 circuitos, 3 voltas cada 1 e 200cv (que deve ser o máximo permitido): Tsukuba Circuit, Eiger Nordwand e Trial Mountain. em Tsukuba eu não tive tanta sorte com o FTO: fiquei em quarto na primeira tentativa, e com isso decidi melhorar o carro. Inicialmente tinha ido em GT Auto e aproveitei e lavei o carro, mas não era lá que eu poderia trocar as peças. Essa opção fica em Oficina de Afinação, onde coloquei um sistema de admissão de ar por $2500 (aumentando a potência de 186 para 192 cavalos). Depois coloquei um filtro de ar esportivo, aumentando pra 199cv. Fui novamente no evento e tentei 2 vezes, chegando em terceiro em todas elas.

Voltei novamente à Oficina de Afinação e decidi reduzir o peso do chassi para 1099 KG, pagando $5000. Decidi trocar de pista e fui na Eiger Nordwand Curto, e me arrependi. Fiquei em décimo, e aí parti pra Trial Mountain, um dos circuitos mais populares do game.

Foi a minha consagração, já que na primeira tentativa eu joguei a corrida no lixo quando errei no final da segunda volta e fiz uma corrida de recuperação, ficando milagrosamente em segundo lugar. Talvez não tenha sido milagre e eu tenha jogado pra caramba, mas vi que não poderia errar. Percebi que poderia vencer nela e tentei novamente, numa corrida estupenda, ultrapassando o primeiro colocado e tendo de jogar sem errar pra conseguir vencer. Veja o momento da ultrapassagem em 2 ângulos, sendo que fiz um teste de efeito de imagem do próprio game:

Aproveitando: a foto abaixo é, para mim, a melhor que já tirei no jogo!

Meus dados atuais da página oficial do Gran Turismo:

Agora é ir jogando aos poucos pra ir participando de campeonatos e adquirir as licenças para destravar os troféus. No momento tenho apenas 2: um da primeira vitória e outro de ter partilhado uma foto de replay no modo online. Estou gostando do jogo, mas com certeza vou demorar meio ano pra poder chegar a níveis mais avançados, se eu alugar ocasionalmente. Isso não importa muito, já que Gran Turismo 5 é para ser degustado aos poucos, e irei postar aqui diários do meu progresso.

Relacionados e Publicidade