Pular para o conteúdo
Início » Artigos » Duas IAs que prometem revolucionar os games

Duas IAs que prometem revolucionar os games

Com o aumento da tecnologia atual dos games, as produtoras estão conseguindo melhorar vários aspectos dos jogos. Um dos aspectos mais difíceis é, justamente, a inteligência artificial dos personagens e inimigos. O jogo tem de ter uma IA realista para deixar os jogos mais reais, mesmo eles tendo algum tipo de fantasia em sua mecânica de jogo, o que nem sempre é possível, em virtude de limitações de processamento e outros fatores diversos. Este ano, dois jogos prometem ter sistemas de IA que podem revolucionar a indústria.
A primeira que devemos levar em consideração é a prometida em Fable 2. Segundo o Peter Molyneux, um dos melhores game designers do mundo (e que promete mais do que cumpre), o jogo terá o amor incondicional, onde os seus filhos irão lhe imitar e te amar de verdade, além de terem a mesma fisionomia que o personagem:

Assim como na vida real, seus filhos o imitarão em muita coisa, seja boa ou ruim. Exemplo: uma criança de sete anos entra na casa gritando “Papai, papai, papai!” e, caso seu caráter seja maldoso, ele poderá lhe mostrar sua nova tatuagem ou algo de ruim que ele tenha feito. “Esse é um momento mágico para todos nós”, completou Molyneux que, ao menos, deixou a todos menos frustrados por não verem o game em andamento. Há outras coisas que suas crianças também podem “herdar” de seu progenitor: sua fisionomia. Se você criar um personagem extremamente feio ou bonito, sua cria trará vários desses traços. A história do jogo estará atada à sua família, e uma grande preocupação poderá ocorrer quando o malfeitor Lucien surgir: ele poderá fazer algo terrível com ela, diz Molyneux, citando que ele é “realmente um cara mau”. (UOL Jogos)

Também tem o cachorro, que promete ter uma IA realmente impressionante. Segundo a edição 18 da Revista Oficial do Xbox 360, além do cachorro amá-lo incondicionalmente, ele “ajuda durante o jogo ,mostrando caminhos, apontando objetos ou missões que possam interessar o jogador”.
Veja um vídeo:


Outra tecnologia que pode surpreender é a de Prince of Persia: Prodigy. Além da parte gráfica elevada e diferente, o personagem terá a companhia de uma mulher em sua aventura. Logo de cara os jogadores achavam que ela poderia ser controlada por outro jogador (modo co-op), o que a Ubisoft disse que isso não aconteceria. Ela será controlada por uma “IA revolucionária” e com isso existe sempre aquele risco dela atrapalhar na hora da jogatina. Então saiu no UOL Jogos algumas informações sobre a IA do jogo:

A bela assistente se chama Elika e foi concebida para ser um fiel “par de olhos” a serviço do jogador. Ela é “uma personagem coadjuvante que irá se integrar em cada elemento da mecânica de jogo”, como ajudar a combater os inimigos, fazer diversas acrobacias e mostrar o caminho quando o jogador ficar perdido durante as explorações. “Elika não será um peso”, assegura Mattes. “Ela sempre será positiva”. (UOL Jogos)

Quero só ver como que a mecânica de jogo funcionará. O jeito é esperar sair algum vídeo de gameplay e testar os dois games para analisar como que a sua IA vai se comportar.

Relacionados e Publicidade