Início » Fallout 3 » Ficção Real 05 – A meio caminho

Ficção Real 05 – A meio caminho

[NT: Este é o primeiro Ficção Real que não é ambientado em Killzone 2, e é justamente essa a nossa idéia: pegar um momento de seu game, aquele instante de minutos ou horas em que algo incrível aconteceu, e transformá-lo numa história inspiradora. Isso vale para qualquer game.
Obrigado ao Ariza pela sua contribuição. Leia o texto e tente descobrir em que game se passa a história contada pelo autor. Se não souber, as tags abaixo do texto podem ser de ajuda.]
Eu ouço os monstros andando e rugindo do outro lado da parede, o medo me paralisa. Entrei neste prédio a partir do hospital ao lado, estou perdido, cansado e machucado. Pergunto-me agora: valeu a pena?


Não sei quantos dias fazem desde que sai de minha casa, ou simplesmente do lugar onde fui criado: meu pai havia partido e eu fui em busca dele. E descobri como meu mundo era uma mentira.
A porta se abriu e eu vi o verdadeiro mundo, nada, o deserto, um lugar quebrado, o cheiro da morte, o excesso de luz. Um Sol que nunca tinha vista. Eu sorri, agora sim, ali começara a minha vida.
A vida do lado de fora de minha casa era um mar de tristeza, máquinas defeituosas, monstros, homens vivendo na miséria e ex-homens: seres desfigurados, alguns bons que tive o prazer de conhecer, ghouls, e mutantes sem inteligência que tive o desprazer. Estes eu não nomeio, são apenas bestas. Todos estão assim por uma guerra atômica da qual não participei, o que fizemos para merecer isso? Talvez nada, mas os pais de nossos pais sim e hoje carregamos esse fardo num mundo corrompido.
Em busca de meu pai andei por este mundo sem lei. Com a roupa de corpo e algumas armas precisei muitas vezes usar a força para alcançar meus objetivos, mas outras vezes somente precisei de inteligência. Envergonho-me de certas ações mas todas foram para um bem maior. Sim precisei roubar e até matar mas só o fiz quando necessário. Conheci pessoas, encontrei vilarejos e bandos, que apesar do sofrimento continuavam com suas vidas. Trabalhei para alguns e finalmente encontrei o que procurava, para…

Isso me afetou, mas eu continuei. Em minhas andanças pelo mundo encontrei uma cidade de ghouls, um ponto de descanso. Então vi uma mulher machucada, e agora estou aqui.
Ela precisava de ajuda. Seus homens, um certo tipo de caçadores de recompensas estavam presos no topo de um prédio, talvez um hotel. Eu, como meu pai teria feito, me voluntariei a ajudá-los.
Não sei quantos dias se passaram, mas agora estou aqui.


Tal batalha que posso me chamar agora de exterminador de bestas. Deparei-me com o hotel lacrado e então usei o prédio do hospital ao lado para alcançá-lo através de uma passarela improvisada. O que eu não contava era com as bestas, em todo o lugar que eu olhava. Lá estavam os filhos de ninguém, tantos quanto um batalhão. Matara um numero que já me escapa da cabeça, estou coberto de seu sangue por todo meu corpo. Minhas armas já apresentam sinais de depreciação, as pernas falham e não sei quanto tempo aguentarei mais. Sou humano. Não alcançarei o topo do hotel onde os sobreviventes estão, ou pelo menos é isso que imagino: ninguém sobreviveria a isso.
Hahaha! Se eu sobrevivi até agora, talvez eles estejam lá.
Ainda não posso desistir. Estou fraco mas sou feito da coragem e honra de meu pai. Preciso salvar ou vingar estes homens.
Salvar o mundo.
Não me interessa reconhecimento. Faço porque acho que é o certo, e por esperar que um dia este mundo volte a ser como era antes, verde e de paz. Quem sabe um dia eu construa uma família nesse mundo enquanto o vejo renascer.
Uma besta me encontrou. É fácil de derrotá-lo. Levanto-me, corro, disparo, e me escondo. O topo está próximo. Ali eu vejo os monstros caindo e não pelos meus projéteis. Estou no terraço, eu vejo-os. Sim, ali está meu objetivo, estão vivos.
Sim, valeu a pena.
[Nota do Autor: Não joguei os DLC’s de Fallout 3 eu achei o final perfeito.]
[Imagem de Abertura: DeviantArt do fgesn]
Relacionados e Publicidade