Início » Iniciantes » Iniciando em Desenvolvimento de Jogos – Parte 05

Iniciando em Desenvolvimento de Jogos – Parte 05

Vamos à quinta parte de nossa série de artigos para quem quer começar a desenvolver um jogo eletrônico do início ao fim. Caso seja a primeira vez que esteja vendo este post, visite a página de Artigos e Tutoriais com todos os textos, em ordem cronológica. Nesta pare vamos falar de programação, uma das áreas mais importantes da criação de games.
Programação vem de programar. Criar um programa de computador (também chamado de software). Um jogo eletrônico que não teve programação não pode ser chamado de um jogo eletrônico, já que é nesta etapa que é criado o game propriamente dito. O sistema operacional (Windows/Linux/etc) e os consoles lêem o jogo e transforma em gráficos, personagens, inimigos, falas, etc. A área é a mais fácil de todas, mas também é a mais maçante e dependendo da sub-área, pode ser uma das mais difíceis.
Porquê fácil? Aqui você usa a mente para criar as coisas, não precisando de habilidades artísticas e em pouco tempo você já vai estar criando programas simples. Games também, mas vai depender da complexidade do jogo, do estilo e do tamanho. Mas em menos de 2 horas você já vai estar criando programas bem simples para ir treinando a sua lógica.
Porquê difícil? Inteligência artificial e física demandam matemática e cálculos bem difíceis.
A melhor palavra que resume a programação é o algoritmo. Considero o algoritmo como uma sequência de comandos que será lido por um outro software (um compilador ou mesmo um interpletador), executando algumas funções específicas. Cada algoritmo vai ser de um jeito diferente, dependendo da linguagem de programação utilizada.
Mas qual linguagem eu posso começar? Essa é outra dúvida, mas vai depender do foco do iniciante. Segundo o Ricardo Bicalho, existem mais de 8 mil linguagens diferentes no mundo! OK, você não precisa aprender todas (é impossível aprender todas!), mas a maioria acaba escolhendo uma das principais linguagens de programação em atividade: C++, .Net e Java. O .Net não é uma linguagem , mas uma ferramenta da Microsoft e para programar em .Net é necessário saber C#, Asp.Net ou Visual Basic.net. O Visual Basic 6 também é uma linguagem muito utilizada, mas não é recomendada para games.
Para jogos, a mais usada é C++, por causa da quantidade imensa de material e de ferramentas que são criadas em cima da linguagem. Em celulares, o Java é mais usada, pro ser multi-plataforma. Já em .Net o XNA se destaca, podendo criar games para PC e para o Xbox 360.
Então cabe ao iniciante escolher uma linguagem e se especializar nela, dependendo do foco. Não recomendo saber muitas, já que isso acaba atrapalhando um pouco os estudos daquele profissional. Afinal, se você começa a estudar mais de uma, não vai ficar boa em uma, mas ficará com conhecimentos medianos em duas. As empresas não querem isso. Elas querem um profissional excepcional e que sabe programar bem numa linguagem. Empresas grandes usam várias linguagens e a possibilidade de encontrar emprego é muito maior.
Cabe ao usuário se focar numa área e escolher a linguagem mais adequada àquela área. É pra celular: Java pode ser uma boa pedida. Vai desenvolver pra PCs? Estude uma linguagem como C++ ou o XNA. Consoles? Aí complica, já que os kits não são muito acessíveis (exceto o XNA), mas sabe-se que usam o C++.
No próximo texto vamos continuar falando de programação, mas focando as ferramentas que transforma as linhas de código no jogo: as engines e APIs!

Relacionados e Publicidade
Marcações: