Início » GTA IV » Justiça brasileira proíbe venda de expansão de GTA IV em todo o mundo

Justiça brasileira proíbe venda de expansão de GTA IV em todo o mundo

Uma liminar expedida hoje pela justiça da cidade de Barueri/SP proíbe a venda mundial da expansão “The Ballad of Gay Tony” para GTA IV, incluíndo sua compilação em disco chamada “Episodes From Liberty City“. O motivo? Aparentemente o jogo tem ilegalmente em sua trilha sonora a música “Bota o Dedinho pro Alto“, interpretada pelo MC Miltinho e composta por seu pai, Hamilton Lourenço. Além da proibição da venda, os autores da ação pedem o pagamento de uma indenização de R$500 mil por danos morais e materiais.

Do outro lado da história, a Rockstar diz ter adquirido os direitos da música através de uma gravadora alemã chamada “Man Recordings”. A música aparece com outro nome no jogo, “Daniel Haaksman – Kid Conga feat. MC Miltinho”. O problema é que na documentação apresentada pela Rockstar as assinaturas não batem e o compositor afirma não ter assinado nenhum documento liberando seu uso.

Até aí tudo bem, é mais um caso inusitado relativo à indústria de jogos. Provavelmente vão entrar num acordo, o garoto vai receber uma indenização bacana e o jogo continuará sendo comercializado normalmente. O problema é a maneira com que o caso está sendo tratado. O texto do Kotaku sobre o assunto, escrito por Renato Bueno (editor do Kotaku Brasil), trata com certa ironia a decisão da justiça brasileira e nos comentários o que mais se fala é como nosso mercado não representa nada mesmo e que o Brasil não tem forças para impedir a venda do jogo fora do país. Pode até ser verdade, mas é certo? O cara pode ter sua música roubada assim e fica por isso mesmo (se ele estiver falando a verdade, é claro)?

A questão é que estamos tão acostumados a proibições estúpidas que quando surge um  caso desses fica todo mundo na defensiva, achando que se trata de autoritarismo e que o juíz não sabe o que está fazendo. Mas e se fosse o contrário? Se um jogo nacional estivesse usando uma música sem pagar os direitos, será que também seria motivo de piada e ficaria por isso mesmo?

E vocês, o que acham? A proibição é justa?

Via: Uol Jogos e Kotaku.

Relacionados e Publicidade
Marcações: