Início » Hideo Kojima » O dia em que me desapontei com Hideo Kojima

O dia em que me desapontei com Hideo Kojima

214090-boo
 
Sempre fui fã e admirador do trabalho de Hideo Kojima, e sempre usei a frase “In Kojima I Trust”, até o dia de ontem, quando finalmente consegui um tempo pra jogar videogame e resolvi experimentar o demo de Metal Gear Rising e conferir o “Hype” todo gerado em cima do jogo.
Não é que tenha passado a odiar também o Kojima, longe disso, a balança dele ainda pende para o lado positivo. Mas o fato aqui é que sempre defendi cegamente o trabalho do Kojima. E olha que acompanho o trabalho dele a muito tempo, adoro SD Snatcher, Zone of the Enders, e principalmente Metal Gear, que depois que descobri a existencia, graças a um amigo, joguei todos os jogos, quer dizer, quase todos, ainda não joguei o Peace Walker, mas assim que comprar o HD Collection vou jogar, e mesmo em jogos que ele deu o seu aval, não decepcionam, como o excelente Castlevania.
E antes que alguém me diga que me desapontei a toa, que o jogo não é o Kojima. Sim, eu sei que ele só deu o aval dele, e não tem nada haver com o jogo, mas deu o OK para um jogo ruim, e isso me gerou um desapontamento em relação ao que ele deixou acontecer. Agora voltemos aos fatos de Metal Gear Rising me desapontar.
A idéia do jogo em si parecia tão fantástica, e se você analisar todos os pontos do jogo separados, são vários elogios, mas na hora que você junta a salada toda, alguma coisa estraga o gosto.
Os gráficos são excelentes, como todo jogo do Kojima, isso em nem coloco em discussão. A idéia do Raiden super robô era algo que todo mundo queria por a mão desde Metal Gear Solid 4, onde ele reapareceu como o “Fodão” que ele é. O esquema da espada é muito legal, mas com uma curva de aprendizado um tanto quanto longa. Ter uma visão à la Batman também deu um charme interessante. Mas na hora que vai juntar tudo, como eu disse, algo estraga a experiência.
Achei o gameplay muito ruim, e com uma curva de aprendizado muito longa para um hack’n slash. E, neste estilo de jogo, estamos acostumado com esquemas de defesa e esquiva mais simples, e o jogo adiciona algumas complexidades desnecessárias. Enfrentar os Geekos então, precisa estar dominando pra não perder muita energia, e quando se chega ao cachorro robo com Inteligencia Articifial. O que foi aquilo? Que coisa mais chata e manjada. Podiam ao menos ter aprendido com Castlevania, já que tem ótimos esquemas de defesa e esquiva.
Sinceramente, todos os atrativos positivos do jogo são estragados por esse gameplay que não gostei.
Ainda confio em Hideo Kojima, já que até o momento este é o único jogo dele, ou com aval dele que não gostei. E agora espero de coração que o erro não se repita em Metal Gear Solid: Ground Zeroes. E só para deixar claro pessoal, é uma opinião minha essa.

Relacionados e Publicidade