Início » Opinião » Opinião: O vazamento da Twitch e a questão dos repasses dos streamers

Opinião: O vazamento da Twitch e a questão dos repasses dos streamers

Twitch Banner Capa

Nesta semana começou a ser noticiado um enorme vazamento da Twitch, incluindo informações de código-fonte da plataforma, planejamento da Amazon de criar um concorrente da loja online Steam e os repasses dos streamers, que foram divulgados nas redes sociais. Streamers grandes (incluindo alguns brasileiros) constam na lista e muita gente repercutiu isso nas redes sociais, com muitos criticando os altos valores.

Mas convenhamos: reclamar do valor é dor de cotovelo, já que muitos esqueceram a trajetória que muitos fizeram e as oportunidades que muitos streamers aproveitaram pra crescer. Coisas como carisma, alguma coisa que bombou nas redes, existem diversas variáveis que fizeram com que o streamer surfasse na onda e conseguisse capitalizar, até chegar num ponto de ter muita audiência. E isso foi se alimentando de mais apoio da plataforma, mais apoio dos espectadores e mais grana tanto pros streamers e pra Twitch indiretamente.

Pois por mais que um streamer famoso tivesse ganhado na casa dos milhões de dólares em 2 anos, essa grana veio em sua maior parte dos espectadores. De quem assinava o canal. A Twitch repassava uma porcentagem mais “generosa” em comparação com os streamers menores, mas também abocanhava uma parte.

Já tem algum tempo que a questão do streaming como profissão retornou com força, principalmente após a Twitch ter mudado o sistema de repasses, que prejudicou bastante os streamers menores, inviabilizando bastante para muita gente. A Twitch tentou minimizar o impacto com um auxílio de valores caso o streamer cumpra uma quantidade específica de horas no mês, mas eu cheguei a ver um êxodo de streamers mudando de plataforma, outros parando de streamar com mais frequência após arrumarem algum emprego, etc.

O que os streamers grandes poderiam fazer, mas em sua parte não fizeram muito (ou não vi nenhum movimento relacionado) é de lutar pra ter um repasse melhor pra quem é menor, mas muitos provavelmente ignoraram isso e ignoraram os movimentos de luta pra ter melhores repasses. Como muitos streamers tem contratos exclusivos e mais suporte da plataforma, eles não queriam simplesmente bater de frente e saírem prejudicados, o que gerou críticas.

Hoje em dia muitos criadores de conteúdo acabaram ficando reféns de um sistema que priorizava a questão de maximizar a audiência em troca de um valor baixo de monetização. Vi isso acontecer com o Adsense, ainda acontece com o Adsense e agora chegou no streaming. Mas as plataformas de streaming chegaram a ter muitos altos e baixos nos últimos anos, com o surgimento de plataformas especializadas e o fechamento delas (Azubu, Streamcraft) e a redução de apoio das plataformas existentes, como o Facebook Gaming (que ainda tem uma galera por lá, mas diversos contratos foram revistos e muitos encerrados) e o Youtube sempre focado no algoritmo pra maximizar as pessoas por lá, mas que ferra quem queria tentar algo diferente, mas não consegue por ter virado refém do algoritmo.

Esse vazamento ainda vai continuar gerando desdobramentos e provavelmente os concorrentes podem querer tentar trazer os streamers pras suas plataformas em troca de um repasse melhor. Só que está sendo difícil concorrer com a Twitch, por conta de recursos como o sistema de emotes, a questão da Amazon Prime, que dá pra apoiar o streamer usando a assinatura gratuita, etc. Mas se o streamer ver que dá pra conseguir viver fora dela, e sem ter as lives extensas de 12h (já que uma hora a saúde virá cobrar) eles não vão pensar 2x. Mas espero que a situação da Twitch mude, pois eles não precisam mais de dinheiro (por terem a Amazon por trás).

Relacionados e Publicidade