Início » Adsense » A questão de viver apenas dos blogs e dos serviços extras

A questão de viver apenas dos blogs e dos serviços extras

OK, sei que muitos podem não gostar desse texto, mas acho que é bem interessante comentar sobre isso. Algum tempo atrás tive algumas discussões sobre “fechar conteúdo de sites para assinantes” e sobre Adsense, o modelo de negócios mais usado para publicidade na web. E também irei postar um pouco sobre a situação atual que passo.

Desde algum tempo atrás eu sonhava em viver apenas de blogs. Não ter um chefe, não precisar acordar cedo, só postar o que você gosta, enfim: um trabalho quase dos sonhos. Se você é jornalista então, você acaba não precisando ficar à mercê de um editor. E antigamente a maioria dos blogs eram abertos mais por diversão e pra ter uma voz na web. Muitos nem pensaram em usar o blog pra gerar renda. Nem eu pensava assim. Quando abri o primeiro blog relevante, tinha sido pra me distrair, já que estava acabando com a faculdade e ficaria na parte da noite sem ter muito o que fazer. E ficar apenas no videogame não seria muito útil, apesar de ser isso que ando fazendo atualmente, por estar de férias trabalhistas.

Só que hoje eu me profissionalizei nesse ramo. Tenho este blog pessoal que está com 300 leitores em média. Tenho cerca de 270 leitores no GamedevBR (que acaba sendo o blog menos atualizado. Mas também os posts são muito mais técnicos) e cerca de 100 no Select Game, o blog mais fácil de manter. Comentar sobre games, lançamentos, criar análises, e outros assuntos, são coisas muito fáceis para mim, que praticamente leio apenas isso e ganhei experiência nesses meses comentando sobre games lá e aqui. A área é muito comentada e todos os dias tem coisas novas. Em gamedev também, mas no quesito de criação de games eu não me interesso por todas as áreas e a maioria dos melhores textos são em inglês, o que dificulta um pouco. Com isso eu consigo tirar uma renda pequena com os blogs.

Este mês eu aproveitei bem e testei como é ser um problogger. Fiquei os dias praticamente em casa, blogando durante o dia, saindo ocasionalmente pra pagar contas, ir na aula de desenho e para uma viagem de 3 dias que fiz pro interior de São Paulo. E gostei bastante da experiência, já que dá pra conseguir ter uma vida normal na frente do PC. O ruim é que isso não bate com o rendimento que tenho atualmente. Hoje, com a crise financeira, muita gente andou reclamando nos próprios blogs que o faturamento médio caiu muito. O meu também caiu, chegando a ponto de, num mês este ano, quase não completar os 100 dólares mínimo que o Adsense exige pra pagar um usuário do serviço (usuário=donos de blogs e sites). Financeiramente falando é inviável pra mim conseguir me manter e sobreviver apenas com a renda do Adsense, sendo que isso virou um serviço extra. Como consigo tirar cerca de 200 a 300 reais por mês em média (tendo 50 reais de gastos mensais com hospedagem), é uma boa grana que dá pra pagar bem as minhas contas. E o mais curioso é que hoje é mais fácil trabalhar com um blog do que pensar em fazer bicos extras no meu tempo livre.

Explico: eu poderia, se quiser, fazer sistemas comerciais no meu tempo livre e conseguir clientes próprios e quem sabe uma renda em manutenção. Já sou programador e já tenho bastante experiência com isso (4 anos). Mas isso é uma atividade bastante arriscada: montar um sistema decente leva muito tempo e você tem de arcar com as manutenções do seu sistema: cliente pedindo novas funcionalidades, novos relatórios e depois que você consegue vender o seu sistema pra novos clientes, você ganha mais manutenção e mais dor de cabeça, mesmo você recebendo por isso.  Com os blogs é bem diferente: você tem um sistema online e ganha por post, o que se torna uma atividade tão rentável quanto desenvolver sistemas por conta. E num blog o dono não precisa responder a ninguém. Você é o seu próprio chefe e pode manter o blog todos os dias ou ocasionalmente. Obviamente que tento um blog bastante atualizado os ganhos acabam sendo maiores.

E com isso temos a proliferação dos blogs de hype. Blogs de celebridades, fotos de mulheres nua, download de games piratas, download de músicas, etc etc etc. Isso gera muita visitação e quanto mais visitação mais dinheiro entra na conta do dono do blog, por ter mais chance de ter cliques com o Adsense (mesmo sabendo que o dono de um blog ilegal pode ser expulso do programa). Confesso que também uso o artifício dos posts-hype de celebridades e assuntos comuns, mas o uso à conta-gotas, preferindo gastar mais tempo nos blogs de nicho (Select game e o GamedevBR) que trazem mais retorno profissional. Acredito que se eu fosse jornalista, entrar numa revista de games pra fazer alguns freelas seria muito mais fácil, por já fazer isso no Select Game com certa facilidade. Sei que não sou um exemplo a ser seguido no quesito “português decente nos posts”, mas se eu escrevesse muito errado não teria tantos leitores, não acha? Ou eu escrevo errado e ninguém me critica. Talvez por medo. Talvez pra não ser taxado de chato. Aí eu não sei responder.

E com certeza o GamedevBR será um dos meus portfólios principais pra conseguir um emprego na área, por já ir aprendendo e dando a cara a tapa: o blogueiro, apesar de não parecer, está dando a cara a tapa em cada texto. Se ele tem uma audiência qualificada que gosta do que ele escreve, eles serão os primeiros a criticar qualquer deslize que você o faz. Já cometi muitos e tento aprender com os erros.

Só que mesmo com os 3 blogs,todo o meu rendimento vem do blog pessoal, que tem cerca de 2300 visitações únicas por dia: se fosse colocar no papel, o GamedevBR e o Select Game não são viáveis financeiramente. Sozinhos eles não funcionariam, mas juntos dá pra ajudar a renda total do Adsense. Assim não preciso pedir doações pra manter os outros 2 blogs. Talvez só pediria doações se o gasto total fosse maior do que a grana arrecadada com publicidade. Como não sou um grande portal que não dá pra ter publicidade online (como os sites de legendas), dá pra me manter com os esquemas normais de geração de rendas em blogs. Hoje só uso o Adsense, que é bastante arriscado: muito blogueiro diversifica a renda usando outros sistemas como o HotWords e links de sites de e-commerce, aumentando o faturamento e tendo alternativas. Mas não gosto de poluir o site e não gosto de certos sistemas que pioram a leitura dos visitantes que entram no site.

Pra terminar, é aquele negócio: blog é mais como diversão. Pensar em se profissionalizar direto com ele no começo é arriscado demais. Blogs tem modelo de negócio a longo prazo: só depois de muitos meses que dá pra conseguir tirar alguma renda com ele. O meu blog pessoal completou 2 anos esses dias e ainda assim não dá pra conseguir viver só disso. Pra quem tem blog de nicho, pode até ajudar na profissão do blogueiro, que pode ter mais contatos de pessoas interessadas e quem sabe até ser chamado em eventos. Eu fiquei bastante surpreso quando fui reconhecido por outros desenvolvedores no último XNA Gamefest (evento de gamedev que teve em São Paulo ano passado) e por ter sido chamado para o WCG para um campeonato entre blogueiros de games. Tudo isso por causa dos blogs.

Relacionados e Publicidade