Pular para o conteúdo
Início » Artigos » A questão dos idiomas em gamedev

A questão dos idiomas em gamedev

Uma coisa que a maioria não se preocupa direito é com a questão do idioma, tanto no seu jogo quando no mercado de trabalho e para ajudar os desenvolvedores na parte de arrumar conhecimento. Sim, estamos falando de português e de inglês, dois dos principais idiomas para nós, brasileiros, que queremos nos dar bem na selva do gamedev, onde poucos conseguem criar um jogo decente e onde existem poucas empresas aqui no Brasil.
Só lembrando que não sou nenhum especialista e outros leitores podem complementar o texto com opiniões bem melhores. Vamos lá:

Português

Pode não parecer, saber escrever razoavelmente bem é fundamental, e caso queira fazer um jogo em português, tenha sempre um corretor ortográfico aberto. Já é um pouco desagradável ver em tópicos de fóruns de discussão erros grosseiros de ortografia (e algumas vezes erros de concordância, mas nem ligo pra isso. Eu erro também de vez em quando), abreviações de palavras básicas (vc, por exemplo), etc.
O seu jogo é o seu produto, e deve ter uma boa aparência. Afinal, outros jogadores vão avaliar e isso será parte do seu portfólio. Um examimador de uma empresa vai ser criterioso ao avaliar seu jogo e se o mesmo estiver com erros, a sua possibilidade de ir pra empresa cai e pode chegar a zero.
Tente também não usar gírias regionais. É difícil, mas o seu jogo será acessado por pessoas de todo o planeta (sim, do mundo. Há muito brasileiro que mora fora, etc) e nem todas vão saber o significado daquela gíria.
O português também pode ser usado como tema do seu jogo, caso queira criar um game educativo neste idioma. Mas isso é assunto para outro texto.

Inglês

Aqui entra a mesma situação acima, mas com mais complexidade. Você terá de saber inglês por três motivos importantíssimos: ter mais público, mais chance de arrumar um emprego na área e ter mais acesso ao conhecimento de gamedev que está nos grandes sites da área: Gamasutra e Gamedev.net.
Ter mais acesso significa que você terá de dominar a leitura em inglês. Sei que a gente tenta sempre ajudar em fóruns e blogs com conhecimento de dúvidas, mas se você souber inglês, é mais fácil encontrar um tutorial específico e poder estudar com mais facilidade. Muita coisa avançada não tem em português e aí não tem jeito: ou você se vira com o inglês ou você não conseguirá estudar direito.
Ah, mas eu posso usar os tradutores online! Sim, claro, mas eles não são infalíveis e podem te confundir e te atrapalhar.
O segundo motivo é o de ter mais chance de entrar numa empresa. Como a maioria das empresa nacionais fazem outsourcing ou games pra exportação (criam partes dos jogos pra empresas internacionais ou mesmo o lançam fora do mercado nacional, que, infelizmente, ainda é pequeno), saber inglês é fundamental. Aí não tem jeito: é ter quase fluência tanto em escrita como na fala. O melhor jeito de treinar é, além de ler tutoriais, se interagir com os fóruns gringos, como o Gamedev.net, a CGSociety (um dos maiores fóruns de 3D do mundo) e outros.
Aí se interagir com pessoas de fora é o terceiro motivo principal. Se você desenvolve um game multi-idioma, você terá mais público e poderá exportar seu jogo para outros países. Além disso, você pode inclusive comercializar o seu projeto em sites internacionais que podem ter mais visitas que os sites nacionais.

Concluindo

Espero que agora você possa se preocupar melhor com o idioma do seu jogo. Se você souber administrar bem isso (e o game ter legendas, claro!) você conseguirá criar um jogo decente e profissional, que pode ajudar no seu portfólio no futuro e/ou mesmo ajudar a equipe a faturar uma graninha extra, vendendo seu jogo em mídias diversas, como na internet.

Relacionados e Publicidade