Início » Iniciantes » Iniciando em Desenvolvimento de Jogos – Parte 03

Iniciando em Desenvolvimento de Jogos – Parte 03

Vamos à terceira parte da nossa introdução (leia antes a primeira e a segunda parte), mas diferente do que prometi, não vou falar sobre as áreas de desenvolvimento de jogos. Vou comentar sobre um assunto bem polêmico: a escolha das áreas para o iniciante estudar!
Esta semana recebi uma dúvida por e-mail de um usuário que quer começar, mas quer começar fazendo muita coisa junto (foi o que deu para entender). Também pode ser que o desenvolvedor iniciante quer começar, mas não sabe em qual área deve fazê-lo. Como disse no tutorial anterior, é necessário o usuário analisar os seus pontos fortes ou mesmo descobrir logo qual o objetivo dele na área. A única dica essencial é: não tente fazer muitas áreas ao mesmo tempo.
Porquê? Simples: cada área é tão grande que é demorado você aprender algo. Acredite: você não vai fazer um jogo da noite para o dia e nem vai aprender a fazer um da noite para o dia. Outro problema é que muitos iniciantes querem fazer o próximo Metal Gear Solid, sem saber que a quarta versão da série foi feita por mais de 200 pessoas e cada um dos caras fizeram algumas coisas específicas. Alguns fizeram o Snake, outros fizeram os cenários, e teve gente que só ficou criando as linhas de programação nas ferramentas do Playstation 3 (que, sinceramente, não sei quais usaram, mas é um assunto bem interessante e curioso. Mas sabemos que algumas produtoras não abrem esse tipo de informação para a gente). Outros fizeram a trilha sonora e por aí vai.
Algumas áreas são mais acessíveis, como programação, mas outras, como música, são muito mais difíceis. Quem cria as músicas dos jogos são músicos ou pessoas que passam o dia inteiro treinando e compondo notas musicais. Eu, por exemplo, tenho aqui em casa uma guitarra, um violão, um amplificador e uma pedaleira. Tudo isso é do meu irmão, que está aprendendo a tocar guitarra há 2 anos e ainda não se considera um bom músico. Dois anos! E tem gente que quer criar um game em 2 dias…
Dá para criar um game em 2 dias? Dá, mas não é algo muito complexo. Aí que entra aquela velha questão da área: você deverá escolher uma e se focar nela. Estudar bem ela! Se você gosta de programação, fique só nela. Se tem facilidade com desenho, entre num curso e continue estudando isso.
Mas saiba que com isso você não conseguirá criar um game sozinho sem esforço. Até que dá para criar um mais simples, mas saiba que games mais elaborados são criados pro equipes. Aí entra o Game Design, que é o planejamento de um jogo. Qualquer um que queira criar um jogo deve planejá-lo, antes de abrir o Visual Studio/Codeblocks/Eclipse e sair programando. Porquê? Se você começa a criar um do nada, sem saber como será o jogo inteiro, aí pode chegar uma hora que você vai parar e pensar: o que devo fazer agora? Oras, você não planejou, e aí você dançou. E não venha reclamar comigo, já que irei dizer: eu te avisei!
A vantagem de seguir numa área é que você vai ficar bom nela em algum tempo. Em 2 anos você se tornará um programador decente e pode conseguir um emprego numa empresa. Se você seguir com modelagem, e se focar apenas nela, em 5 anos você estará apto a entrar numa Blizzard e conseguir ser parte do desenvolvimento de um game complexo. Já imaginou o seu nome nos créditos do World of Warcraft? O teu olho deve ter brilhado agora! O meu também, mas ainda não estou pronto para tentar algo assim. Preciso começar por baixo, com games simples ou estudando a fundo alguma área, como game design e desenho artístico.
Não tente fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Quando você começar a estudar bem e começar a participar de fóruns como a UniDev e a PDJ, você vai conhecer outros desenvolvedores, vai conhecer outros usuários de outras áreas e vai conseguir juntar bons contatos. Se você tentar fazer várias coisas, vai acabar sabendo pouca coisa de todas as áreas, sem saber bem uma área. E numa empresa média, é bom você ser um cara bom numa coisa, que junto com mais pessoas conseguirão criar um game. Seja parte do processo, e não o processo todo, que vai custar mais tempo do que se você tivesse ajuda.
Mas uma coisa eu te digo: antes de chamar uma equipe, tenha o projeto em mãos. Assim você saberá como prosseguir e conseguirá criar um game decente, mesmo ele sendo simples. No final das contas isso servirá como portfólio, e poderá te ajudar a entrar numa empresa.
Na próxima parte, deverá ter (se tudo correr bem) sobre algumas áreas de desenvolvimento de jogos.

Relacionados e Publicidade
Marcações: